Volture — Deep Dweller letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "Deep Dweller" de Volture.

Letra

300 miles at sea
At home upon the waves
Endless plains of blue
Where adventure brings dismay
Traverse the towers tall
Oil flows endlessly
Stay mindful of the dangers
Dying comes so easy
Jump into the black abyss
200 feet and fall
Just another day living the ways
Of a deep dweller’s call
Into your mind past the skull
The pressure starts to creep
Feel the friction of your bones
It’s the rapture of the deep
Your mind twists
Your body bends
Hallucinations draw you in
Keep your eyes
Toward the sky
Deep Dweller you must live
Catch your breath
Clear your head
The things you see are lies
Don’t you die at the lonely depths
Their sending you to standby
What can you do?
When your life slips away!
Jump into the black abyss
200 feet and fall
Just another day living the ways
Of a deep dweller’s call
Into your mind past the skull
The pressure starts to creep
Feel the friction of your bones
It’s the rapture of the deep
Embrace the risk you take
Your thoughts lead you astray
Enter a strange new world
Don’t forget its deadly
Air turns to poison gas
Death lies in your blood
You can’t move your arms
The fear you may succumb
Victim of the sea
No chance you will survive
Forever in the deep
She claims another life…

Tradução da letra

300 milhas no mar
Em casa sobre as ondas
Planícies infinitas de azul
Onde a aventura traz consternação
Atravessar as torres altas
O petróleo flui infinitamente
Atenção aos perigos
Morrer é tão fácil
Saltar para o abismo negro
200 pés e cair
Apenas mais um dia vivendo os caminhos
De um chamado profundo
Para a tua mente depois do crânio
A pressão começa a fluir
Sente a fricção dos teus ossos
É o arrebatamento das profundezas
A tua mente muda
O teu corpo dobra-se
As alucinações atraem-te
Mantém os olhos abertos.
Em direcção ao céu
Morador profundo deves viver
Recupera o fôlego
Desanuvia a cabeça
As coisas que vês são mentiras.
Não morras nas profundezas solitárias
Estão a mandar-te para a espera.
O que podes fazer?
Quando a tua vida escapar!
Saltar para o abismo negro
200 pés e cair
Apenas mais um dia vivendo os caminhos
De um chamado profundo
Para a tua mente depois do crânio
A pressão começa a fluir
Sente a fricção dos teus ossos
É o arrebatamento das profundezas
Aceita o risco que corres
Os teus pensamentos desviam-te
Entra num mundo novo e estranho
Não te esqueças que é mortal.
O ar transforma-se em gás venenoso.
A morte está no teu sangue
Não consegues mexer os braços.
O medo que podes sucumbir
Vítima do mar
Não há hipótese de sobreviveres.
Para sempre no fundo
Ela reivindica outra vida.…