The Show Ponies — If I Die Tomorrow letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "If I Die Tomorrow" de The Show Ponies.

Letra

Darkness, you can roll over
You instill no fear in me
Lightness, feel free to shine
I intend to soak up every beam
If I die tomorrow, would you tell yesterday?
There’s no need for sorrow 'cause I’m no longer in pain
If I die soon, my dear, would you not bury me in a grave?
'Cause I would rather burn my bones than become wasted space
Songbird, you can keep on singing
For the world will still spin on
As the moon holds its place in the starry sky
Sunset will turn into dawn
If I die tomorrow, would you tell yesterday?
There’s no need for sorrow 'cause I’m no longer in pain
If I die soon, my dear, would you not bury me in a grave?
'Cause I would rather burn my bones than become wasted space
I’ll be singing with the angels
As I approach the throne
Don’t be sorry for me, my dearest friend
I’ll see you when you’re called home
If I die tomorrow, would you tell yesterday?
There’s no need for sorrow 'cause I’m no longer in pain
If I die soon, my dear, would you not bury me in a grave?
'Cause I would rather burn my bones than become wasted space

Tradução da letra

Escuridão, podes rolar
Não incitas medo em mim
Leveza, sinta-se livre para brilhar
Pretendo absorver cada feixe
Se eu morrer amanhã, dirias ontem?
Não há necessidade de tristeza porque já não tenho dor
Se eu morrer em breve, minha querida, não me enterrarias numa sepultura?
Porque prefiro queimar os meus ossos do que tornar-me num espaço desperdiçado
Songbird, podes continuar a cantar
Pois o mundo continuará a girar
Enquanto a lua detém o seu lugar no céu estrelado
O pôr-do-sol transformar-se-á no amanhecer
Se eu morrer amanhã, dirias ontem?
Não há necessidade de tristeza porque já não tenho dor
Se eu morrer em breve, minha querida, não me enterrarias numa sepultura?
Porque prefiro queimar os meus ossos do que tornar-me num espaço desperdiçado
Vou cantar com os anjos
À medida que me aproximo do trono
Não tenhas pena de mim, meu querido amigo.
Vejo-te quando fores chamado para casa.
Se eu morrer amanhã, dirias ontem?
Não há necessidade de tristeza porque já não tenho dor
Se eu morrer em breve, minha querida, não me enterrarias numa sepultura?
Porque prefiro queimar os meus ossos do que tornar-me num espaço desperdiçado