The Movement — Green Girl letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "Green Girl" de The Movement.

Letra

I was introduced to the white girl
I was introduced to the green girl
I was introduced to the yellow haired
Polka dotted fly triple stack
Twenty-five dollar bill girl
I’m introduced to the brown girl
I was introduced to the paper girl
I was introduced the liquid form
Come on now stick it where it’s warm baby
Just don’t turn away
I hear the music and I feel the soul
Now get your green together
Cause it’s time to roll
I know the color’s swirlin acid takin its toll
But if you wanna be free
Well you can never go home
Cause I refuse to take the time
Not to lay it on the line
White girl get it from the front
Green girl take it from behind
With all this shit, from all I’ve seen
Nothing or something, it’s all green
It’s dedicated to the lady who kept me up in the night time
Enabled me to write rhymes
And hit me with them white lines
And high times, better for sure know I’m down till the casket falls
While I’m blowing reefer rings of smoke
The size of basketballs
And I got the method if you want it come and get it
I bet it will be the most unregrettable chemical ever
Making you feel like you was sittin' on top of the world
And giving props to all of my colors and all of my girls
So much in a name
So much more in you

Tradução da letra

Fui apresentado à rapariga branca.
Fui apresentado à rapariga verde.
Fui apresentado ao de cabelo amarelo.
Mosca pontilhada com bolota tripla
A miúda da nota de 25 dólares.
Fui apresentado à rapariga castanha.
Fui apresentado à rapariga do jornal.
Introduziram-me a forma líquida.
Vá lá, enfia-o Onde está quente, querida.
Apenas não vires as costas
Ouço a música e sinto a alma
Agora recompõe - te.
Porque é hora de rolar
Eu sei que o ácido de swirlin da cor tem o seu preço.
Mas se queres ser livre
Bem, nunca poderás ir para casa.
Porque me recuso a ter tempo
Para não arriscar
Miúda branca, tira-a da frente.
Rapariga verde, leva-o por trás.
Com toda esta merda, de tudo o que vi
Nada ou algo assim, está tudo verde.
É dedicado à senhora que me manteve acordado durante a noite.
Permitiu-me escrever rimas
E bate-me com essas linhas brancas
E nos tempos mais altos, é melhor que saibas que estou em baixo até o caixão cair
Enquanto eu sopro aros de fumaça
O tamanho das bolas de basquete
E tenho o método se quiseres que venha buscá-lo.
Aposto que será o produto químico mais irrecuperável de sempre.
Fazendo-te sentir como se estivesses no topo do mundo
E dar adereços a todas as minhas cores e a todas as minhas raparigas
Tanto num nome
Muito mais em ti