Pedro Infante — Orgullo Ranchero letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "Orgullo Ranchero" de Pedro Infante.

Letra

Mi orgullo es ranchero
Mi amor es sincero
Y nunca presumo
De ser valenton
Pero si alguien quiere
Probar mi calilla
Dispuesto me encuentro
Pa darle un quemon
Alla andan diciendo
Que son muy picudos
Y yo me los clacho
Al oirlos hablar
Todos son valientes
Todos bravucones
Y al hora del hora
No saben pelear
Pa los tontos
Son las cuerdas
Pa los calvos
Las monteras
Pa los changuitos
Tarzanes que me duran
Los panteras
Si porque me ven fuereño
Piensan que me han de comer
Pero yo les digo nones
Porque pares no ha de haber
Para los gallos
Correr los caballos
Es siempre mi orgullo
Poderles ganar
Y para los amores
Tengo los mejores
Porque este ranchero
Sabe enamorar
Que viva mi tierra
Que viva mi rancho
Que es tierra de machos
Que saben pelear
Si piden trompadas
Le dan cuchilladas
Si piden balazos
Tambien saben dar
Pa los tontos
Son las cuerdas
Pa los calvos
Las monteras
Pa los changuitos
Tarzanes que me duran
Los panteras
Si porque me ven fuereño
Piensan que me han de comer
Pero yo les digo nones
Porque pares no ha de haber

Tradução da letra

O meu orgulho é rancheiro
Meu amor é sincero
E eu nunca presumo
De ser o valenton
Mas se alguém quiser
Provar o meu calço
Estou disposto a encontrar me
Pa dar-lhe um queimon
Lá estão eles a dizer
Que são muito picudos
E eu clacho os
Ao ouvi los falar
Todos são corajosos
Todos bravos
E na hora da hora
Não sabem lutar
Pa os tolos
São as cordas
Pa os carecas
As monteras
Pa los changuitos
Tarzanes que me duram
Os panteras
Sim porque me vêem fora de mim
Acham que me devem comer
Mas eu digo nones
Porque pares não deve haver
Para os galos
Correr os cavalos
É sempre o meu orgulho
Poder vencê-los
E para os amores
Tenho os melhores
Porque este rancheiro
Sabe apaixonar-se
Que viva a minha terra
Que viva o meu rancho
Que é terra de machos
Que sabem lutar
Se eles pedirem trompas
Dão lhe facadas
Se pedirem tiros
Eles também sabem dar
Pa os tolos
São as cordas
Pa os carecas
As monteras
Pa los changuitos
Tarzanes que me duram
Os panteras
Sim porque me vêem fora de mim
Acham que me devem comer
Mas eu digo nones
Porque pares não deve haver