Antonio Orozco — Tapas letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "Tapas" de Antonio Orozco.

Letra

Una redada en la calle,
una mirada sin voz,
un ralentíde coraje,
y un barrio susurrando amor.
Un discutir entre fichas,
en la escala del domino,
un manantial de cerveza,
y el humo de un porro a las dos.
Si tapas tu, tapo yo
tápalo y dejalo. No lo remuevas por Dios!
Si tapas tu, tapo yo, tápalo y entiéndelo. No se lo cuentes al sol.
No, no… tu barrio hecho canción.
El que te lo robó, el que se lo inventó.
El mismo que te habla de amor.
El que lo dibujó, el que se lo quedó.
Es tu barrio, barrio hecho canción.
Una continua del tema,
un par de lunes al sol,
un equilibrio en la barra
y un verso que rima con no.
Si tapas tu, tapo yo
tápalo y dejalo, no me lo cuentes por Dios.
Si tapas tu, tapo yo tápalo y entiéndelo, no se lo cuentes al sol
No, no… tu barrio hecho canción.
El que te lo robó, el que se lo inventó.
El mismo que te habla de amor.
El que lo dibujó, el que se lo quedó.
Es tu barrio, barrio hecho canción.
La calle, los verbos, los bares, los dueños, los premios, los barrios,
los perros, los cantaores, los camellos, las verbenas, las palabras,
los sueños, los perros,…
Los senderos que hablan de sueños, no devuelven más que sucio silencio.
Los paisajes que gritan recuerdos me devuelven sabores sin verbo.
Y los verbos que tienen te quiero, son las calles, son las calles que llevan…
al gueto
(gracias a Esteban por esta letra)

Tradução da letra

Um ataque na rua,
um olhar sem voz,
uma marcha lenta coragem,
e um bairro sussurrando amor.
A discutir entre fichas,
na escala do domino,
uma fonte de cerveja,
e o fumo de um charro às duas.
Se tapares tu, eu tapo
tapa-o e deixa-o. Não o removas por amor de Deus!
Se tapares tu, tapo eu, tapa-o e entende-o. Não contes ao sol.
Não, Não canción o teu bairro fez música.
Aquele que o roubou, aquele que o inventou.
O mesmo que te fala de amor.
O que desenhou, o que ficou com ele.
É o teu bairro, Bairro feito canção.
Uma continuação do tema,
um par de segunda-feira ao sol,
um equilíbrio na barra
e um verso que rima com não.
Se tapares tu, eu tapo
tapa-o e deixa-o, não me contes por Deus.
Se tapares tu, tapo eu tapa-o e entende-o, não contes ao sol
Não, Não canción o teu bairro fez música.
Aquele que o roubou, aquele que o inventou.
O mesmo que te fala de amor.
O que desenhou, o que ficou com ele.
É o teu bairro, Bairro feito canção.
Rua, verbos, bares, proprietários, prêmios, bairros,
os cães, os cantores, os camelos, as verbenas, as palavras,
sonhos, cães,…
Os caminhos que falam de sonhos, não retornam mais que silêncio Sujo.
As paisagens que gritam memórias me devolvem sabores sem verbo.
E os verbos que têm te amo, são as ruas, são as ruas que levam…
ao gueto
(graças a Esteban por esta letra)