Antonio Orozco — Irremediablemente Celos letra e tradução

A página contém a letra e a tradução em português da música "Irremediablemente Celos" de Antonio Orozco.

Letra

De noche, cuando no entiendo que tu sueño se derroche,
cuando mis notas se protegen con el broche,
el que la luna y silencio me prestó.
De noche, cuando tu magia se resbala entre tu boca,
cuando mi alma se refugia como loca
de los suspiros que de ti quieran salir.
Cuando duermes.
Siento celos
de no ser dueño del lamento de tu boca,
siento celos
de la tormenta que la noche te provoca, celos.
Siento celos de la tela que te arropa,
siento celos, celos.
Irremediablemente celos,
los que me dicen cuando todo sabe a poco,
los que me indican con pellizcos mis enojos,
los enemigos de los versos que escribí.
Cuando duermes,
es tu mirada la que inunda mi condena,
es mi mirada la que sufre en mi esa pena,
en que tus ojos son oscuros para mi.
Cuando duermes.
Siento celos
de no ser dueño del lamento de tu boca
Siento celos
de la tormenta que la noche te provoca, celos.
Siento celos de la tela que te arropa,
siento celos, celos.
Celos
de no ser dueño del lamento de tu boca,
siento celos
de la tormenta que la noche te provoca,
siento celos de la tela que te arropa,
siento celos, celos del borde tu boca,
del roce de tu ropa.
Irremediablemente celos,
irremediablemente celos.

Tradução da letra

De noite, quando não entendo que seu sonho se desperdice,
quando as minhas notas se protegem com o fecho,
aquele que a lua e o silêncio me emprestaram.
À noite, quando a tua magia escorrega entre a tua boca,
quando a minha alma se refugia como louca
dos suspiros que de TI querem sair.
Quando dormes.
Estou com ciúmes
se não for dono do lamento da tua boca,
estou com ciúmes
da tempestade que a noite te provoca, ciúmes.
Sinto ciúmes do tecido que te veste,
sinto ciúmes, ciúmes.
Irremediavelmente ciúmes,
aqueles que me dizem quando tudo sabe a pouco,
aqueles que me indicam com beliscões meus irritados,
os inimigos dos versos que escrevi.
Quando você dorme,
é o teu olhar que inunda a minha condenação,
é o meu olhar que sofre na minha tristeza,
que os teus olhos são escuros para mim.
Quando dormes.
Estou com ciúmes
se não for dono do lamento da tua boca
Estou com ciúmes
da tempestade que a noite te provoca, ciúmes.
Sinto ciúmes do tecido que te veste,
sinto ciúmes, ciúmes.
Ciúmes
se não for dono do lamento da tua boca,
estou com ciúmes
da tempestade que a noite te provoca,
sinto ciúmes do tecido que te veste,
eu sinto ciúmes, ciúme da borda sua boca,
da fricção das tuas roupas.
Irremediavelmente ciúmes,
irremediavelmente ciúmes.